Papel

A ideia tem toque oriental. Yiken Teryua quer provar que os objetos que descartamos todos os dias podem ser úteis – e, mais do que isso, transformados em algo elegante e bonito.

Novamente os cilindros que sustentam o papel higiênico aparecem como estrelas, desta vez trabalhados em um nível de detalhamento que acaba por adotar um caráter de delicadadas esculturas – como uma floresta.

O artista japonês vive em Nova York, onde se utiliza de diversos materiais, que ainda incluem embalagens de pizza ou sacolas de papel. Para ele, a ideia é refletir um pouco da história e da vida de Okinawa, sua terra natal.

Papel

Anúncios