Marilyn em cerâmica

Eis um flagra de uma exibição de arte contemporânea na China: reproduções em cerâmica de Marilyn Monroe na pele da louraça que infernizou e deleitou os sonhos do vizinho em O Pecado Mora ao Lado (1955). Mas detalhe, a moça usa qipaos, os vestidos chineses que revelam a sensualidade asiática.

O qipao (lê-se tipau) é a maior representação do vestuário chinês feminino. O vestido tem origem no século 17, na etnia manchu da Dinastia Qing. Também chamado de cheongsam, é feito em seda, brocado, veludo ou algodão.

A partir dos anos 1930, se transformou no símbolo maior das mulheres da crescente aristocracia chinesa, especialmente em Shanghai.

E as peças da Marilyn são um belo mix do vintage com tempero Oriente-Ocidente, não?

Anúncios