Um dia você decide fazer um piquenique no jardim de uma antiga casa de waffles, as delícias européias para o café da manhã, da tarde ou de qualquer outro horário, porque quer também conhecer – e quem sabe comprar – móveis vintage, artes, jóias e roupas, além de uma bolsa nova, um par de sapatos e qualquer coisa de lingerie. Pode parecer que tudo isso não seja possível num lugar só, mas é. Pelo menos até setembro, se você estiver no pacato balneário de Knokke-Heist, na Bélgica.

Depois de setembro, toda a função termina, e o local, chamado Gustav Pop Up Space, será ocupado pela construção de um hotel à beira-mar.

O conceito de espaços – ou lojas – temporários não é novo, apesar de no Brasil ter ganhado força apenas no ano passado, em iniciativas como a Casa de Criadores Loja Pop Up, realizada nos Jardins, em São Paulo. Em geral, reúne não só produtos para venda, mas aspectos para chamar a atenção do público, como mostras artísticas ou intervenções que façam valer (mais) a pena a visita.

Os belgas da marca de roupas AF VAndevorst, que estão no Gustav, são marinheiros de segunda viagem. No ano passado, já haviam feito o maior sucesso com a Aktion I, também uma Pop Up Store. Da primeira vez, eles brincaram com o logo da marca – que traz uma cruz vermelha – para preencher o espaço com referências hospitalares. Além de macas do início do século passado, pois vintage é bacana, eles vestiram os vendedores num arremedo de enfermeiros. A Aktion II, como foi batizada a loja nesta segunda edição, segue neste clima. Agora, os parceiros são também a Galeria de Arte Hoet Bekaert e a Furniture Love.

Gustav Pop Up SpaceGustav Pop Up SpaceGustav Pop Up SpaceGustav Pop Up Space
Fonte e imagens: LS:N Global
Anúncios